domingo, 4 de janeiro de 2009

TUDO É EXTRAVAGANTE E VULGAR NA INTERNACIONAL JURERÊ

Nada de crise no pedaço de terra de alguns quilômetros cercado por mansões de gosto duvidoso ao norte da ilha de Santa Catarina. Não, não se trata de “Florianópolis”. Estive pelo terceiro ano em Jurerê Internacional e tudo continua como antes, com todos os excessos e exageros.


Parece que o lugar foi escolhido e moldado a dedo. Enquanto as águas do mar em algumas praias a poucos quilômetros dali são geladas, em Jurerê são calmas e mornas. A impressão que se tem em determinados dias é que nem a chuva é capaz de chegar até lá. Passa ao largo.


Assim, tudo é uma festa. Na praia ocorrem, nos dias de verão e nos três restaurantes “pé na areia”, as sunset parties ao som dos melhores dj’s. São espaços cercados por diversos sofás e lounges onde a extravagância dá o tom.


Me lembro de uma família que ocupava um desses camarotes, ao custo de seis mil reais por dia. Só tomavam Veuvet Cliquot, quando então, pediram diversas garrafas de Chandon. Era apenas para a chuva de champagne que ocorre lá pelas tantas, quando o sol começa a se pôr.


Num dos espaços ao ar livre voltados pra festas de arromba que começam a tarde e se estendem até a madrugada, vê-se um painel gigante formado por espelhos bem no caminho para os banheiros vindo das piscinas. Narciso não seria tão narcisista.


Ao final de uma dessas festividades regadas a muito álcool, via-se dois bombadões na pista de dança fazendo braço de ferro, na certa apostando pra saberem quem era o mais forte. Nada mais vazio.


Uma turminha ao lado da piscina impediu a garçonete de tirar as diversas garrafas de champagne vazias que flutuavam num balde de gelo, e ela, com um sorrizinho no rosto, entendeu o motivo: “Pra aparecer mais, né?", sentenciou.


Claro. Não há limites quando se quer chamar atenção em Jurerê.


Placas espalhadas ao longo de toda a praia, agora avisam: “Luxo, é lixo no lixo”. Em inglês o texto é outro. Um “gringo” não entenderia tamanho ridículo.


Mas quem se importa com tudo isso. São alguns poucos dias sem realidade. É ótimo. Que venha, talvez, Jurerê 2010.

5 comentários:

Café do Ale - Bar de Tapas disse...

novo jeff em 2009? metendo o pau na burguesia? heheheheheh ...
e a conta bancária ... quase a zero com os banhos de champanhe ... heheheehhe
beijo.

filipe disse...

jeff mudou de 2008 pra 2009 ?? o que aconteceu em jurerê para tamanha mudança ?? U-lala !!
mas gostei do post, pricipalmente a parte do texto em ingles ser diferente pq 'gringo' não ia entender tamanho ridiculo... hahahahahahah
Grande Abraço
Filipe,

Jeff disse...

Eu não mudei meus queridos..eu participei e quero participar ainda mais...hehehehe...é apenas uma visão da coisa depois que voltei...hehehehehe...depois que o champagne perdeu o efeito...hehehe
abs

João Paulo Papassoni disse...

Seu vagabundããão!! Entao passe o próximo lá em Bauru Cidade Sem Limites com a gente tomando uisque, que é muito melhor que champagne!

Jeff disse...

prefiro o champa joão..hehehehe
abs