terça-feira, 20 de janeiro de 2009

DEPRIMENTE

Esse foi o termo usado pelos patrocinadores para cancelar a participação deles no “bolo do bixiga”, aquele mesmo, do tamanho, em metros, da idade da cidade de São Paulo e que é atacado no aniversário da metrópole.

A tradução mais perfeita da incivilidade, da pressa, da ansiedade e da falta de educação do brasileiro. Até baldes eram usados pra tentar pegar um pedaço maior do bolo do que o fulano do lado. Uma verdadeira tragédia humana e vergonhosa, digno de ficarmos ruborizados quando insistem em passar a matéria nas TV´s.

Demorou pra que isso acontecesse.

Esse comportamento exteriorizado de forma tão animalesca nessa festa, acontece todos os dias, nas filas dos bancos, nos supermercados e no trânsito. Nem os números absurdos de acidentes e mortes nas ruas e estradas do Brasil fazem a população mudar o comportamento ao volante.

Preferem correr o risco de causar um acidente ou sequer chegar ao destino, para quem sabe, estar lá um minuto antes que o carro da frente. Pra isso, cruzam o sinal vermelho, fecham os carros, andam no acostamento nas estradas, não mantêm distância segura do veículo a sua frente e por aí vai.

Traduzindo. No Brasil, a cada 100 mil carros ocorrem 4 acidentes. Na Inglaterra e nos EUA esse índice é de 0,2, ou seja, aqui ocorrem 20 vezes mais acidentes do que nesses países.

Vexame total.

Andei pensando e conclui que isso é burrice, ou falta de inteligência das pessoas (pra ser mais polido). Do que adianta avançarmos o sinal vermelho se quase sempre o próximo está fechado? Ou correr acima do limite de velocidade? Quanto se ganha em tempo com isso? Um minuto? Dois, quem sabe? O motivo não é esse. No Brasil temos a cultura de sempre querer estar na frente dos outros, porque sempre achamos que os outros querem passar na nossa frente!! Complicado, hein. Vai entender!!!

Recentemente um avião despencou no Rio Hudson em Nova York e os passageiros saíram “organizadamente e em silêncio”, relatou um deles pra um jornal.

Como seria se tivesse acontecido por aqui? Poderiam ter se safado da queda, mas com certeza vários teriam morrido pisoteados...por eles mesmos...os brasileiros!!!

Depois meus amigos me censuram quando qualifico alguém (que vejo cometendo essas imbecilidades) de “brasileirão”.

To bravo. Vamos ser menos brasileiros.

Um comentário:

joao disse...

po, desse eu gostei!
nao sei se isso é ápenas coisa de "brasileirões"...mas, enfim, reflete um estado de humanidade que ainda estamos associados...

abraços, jeff!